Saúde Mental e COVID-19: contribuir para «a resiliência dos profissionais de saúde»

A nova presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental (SPPSM), a psiquiatra Maria João Heitor, considera que “a Saúde Mental tem um papel insubstituível, embora muitas vezes ignorado”.

Perante a atual epidemia de COVID-19, salienta que a Saúde Mental “tem uma função que deve ser dirigida a diferentes alvos, nomeadamente na educação do público e no fortalecimento da resiliência pessoal dos profissionais da área da saúde”.


Maria João Heitor

Maria João Heitor, que tomou posse como presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental (SPPSM) no último fim de semana, lembra que “estamos num período particularmente difícil, de incerteza, resultante de mais uma ameaça à saúde pública”.

Em declarações à Just News, sublinha que se trata de uma ameaça que “coloca desafios físicos, pessoais, sociais e emocionais para os profissionais de saúde e o público em geral”.

E não deixa de alertar que “há populações particularmente vulneráveis”, como as pessoas com doença mental grave e com deficiência mental, que apresentam “dificuldades ao nível das medidas de proteção no distanciamento social”. Ou os sem-abrigo, “na sua maioria, com doença mental e abuso de substâncias, como álcool e drogas, que estarão mais desprotegidos”.


Direção da SPPSM: João Bessa, Luís Madeira, Joaquim Cerejeira, João Marques, João Marques-Teixeira, Ricardo Coentre, Ema Conde, Maria João Heitor e Manuela Abreu

Maria João Heitor sucede a João Marques-Teixeira na presidência da SPPSM

Maria João Heitor, que é diretora do Serviço de Psiquiatria do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, e do próprio Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental em que aquele está integrado, sucede, no cargo de presidente da SPPSM, ao seu colega João Marques-Teixeira.

O psiquiatra do Porto, eleito para o triénio 2016-2018, acabou por cumprir mais um ano de mandato, facto que resultou da realização em Portugal, em 2019, do 19.º Congresso Mundial de Psiquiatria.


João Marques-Teixeira

“Penso que, neste momento, temos uma Sociedade reconhecida, interventiva, com preocupações de natureza científica e formativa. E temos uma Sociedade preocupada com os nossos doentes e com a formação dos nossos psiquiatras”, afirmou João Marques-Teixeira, em jeito de balanço dos últimos quatro anos na vida da SPPSM.

Falando já na qualidade de sua presidente, no final da Assembleia-Geral realizada no passado sábado, Maria João Heitor mostrou-se segura de que “a Sociedade pode continuar a contar com mais uma excelente equipa, motivada, que vai conseguir, de uma forma sábia e sensata, conjugar os valores e a tradição da SPPSM com a inovação e o progresso”.

Garante também: “Vamos dar o nosso melhor pelo conhecimento científico, pelos psiquiatras, pelos outros profissionais de Saúde Mental e, acima de tudo, pelos doentes, famílias e comunidades mais alargadas onde estão inseridos.”


Ex-presidentes da SPPSM: António Pacheco Palha (2009-2012) e Maria Luísa Figueira (2013-2015); presidente cessante: João Marques-Teixeira (2016-2019); presidente: Maria João Heitor (2020-2022); presidente eleito: João Bessa (2023-2025)

Continuar a investir na formação pós-graduada

Com um mandato de três anos (2020-2022) pela frente, Maria João Heitor diz que tenciona recorrer, de uma forma mais regular, ao Conselho Consultivo da SPPSM, que integra os ex-presidentes António Pacheco Palha (2009-2012) e Maria Luísa Figueira (2013-2015). De acordo com os estatutos da Sociedade, João Marques-Teixeira, na qualidade de presidente cessante, e João Bessa, como presidente eleito, integram uma Direção que reúne psiquiatras de diversas regiões do país.

A nova presidente da SPPSM refere que desenhou um plano de ação orientado por “sete linhas mestras”, a primeira das quais se prende com a intervenção junto da sociedade civil e da classe política. “Um aspeto importante prende-se com a comparticipação de antipsicóticos, que a Direção e o presidente cessante defenderam e promoveram”, sublinha.


Intervenção de Maria João Heitor durante a tomada de posse da nova Direção da SPPSM

A continuação do investimento na formação pós-graduada em novas edições de cursos dirigidos sobretudo a internos de Psiquiatria mas também, por exemplo, a especialistas de Medicina Geral e Familiar é outra das prioridades daquela responsável, que também tenciona investir na criação do Observatório de Saúde Mental.

Licenciada pela Faculdade de Medicina de Lisboa, Maria João Heitor repartiu o seu internato de Psiquiatria pelo Miguel Bombarda e hospitais do Reino Unido. Em Portugal, já trabalhou em diversas instituições hospitalares, estando no Beatriz Ângelo desde a sua abertura (2012).

Entre outras funções, foi diretora de serviços de Psiquiatria e Saúde Mental da Direção-Geral da Saúde, membro do Conselho Nacional de Saúde Mental e representante portuguesa junto da OMS e da Comissão Europeia. É doutorada em Medicina Preventiva e Saúde Pública.

Corpos Sociais da SPPSM  Triénio 2020-2022

DIREÇÃO
Presidente: Maria João Heitor
Vice-presidente: Luís Madeira
Presidente eleito: João Bessa
Presidente cessante: João Marques-Teixeira
Secretário-geral: Ema Conde
Tesoureiro: Ricardo Coentre
Vogais: João Marques, Joaquim Cerejeira e Manuela Abreu

ASSEMBLEIA-GERAL
Presidente: Carlos Ramalheira
Vice-presidente: Susana Almeida
Secretário: Lurdes Santos

CONSELHO FISCAL
Presidente: Luís Câmara Pestana
Vice-presidente: Sónia Ramos
Secretário: António Bento

CONSELHO CONSULTIVO
António Pacheco Palha
Maria Luísa Figueira


Ricardo Coentre (tesoureiro), Ema Conde (secretária-geral), Luís Madeira (vice-presidente) e Maria João Heitor (presidente)